Coluna do Will

“Apertem os cintos: o Grêmio sumiu”

Complicado tecer palavras depois do que foi apresentado na madrugada de ontem em Santa Cruz de la Sierra. Confesso que desde 2005 não via partida tão deplorável e “medonha” realizada pelo Grêmio. Uma típica apresentação de série B. O que se viu ontem na Bolívia acredito não se ver nem nos gramados de várzea da 2ª divisão gaúcha. Um time errando passes de 2 metros, não se impondo, mal posicionado em campo e deixando o adversário com 5 reservas e eliminado da competição mandar no jogo, e mais, golear. É este o Grêmio que almeja ser tri campeão do continente? É esta a equipe que o Sr Renato Portaluppi pretende mostrar ao mundo no fim do ano? Sinceramente, triste, pra não dizer deplorável.

CONFORMISMO: Confesso que após o fiasco de ontem eu me imaginei quebrando o radinho a pilha na parede do quarto caso ouvisse o ilustríssimo presidente Paulo Odone afirmar aos 4 ventos que “o que se viu foi uma prova viva de que com o Grêmio Porto Alegrense tudo tem que ser mais difícil, teríamos que nos classificar em 2º mesmo, pra enfrentar adversários mais difíceis, na raça, na superação, na camisa e bla e bla”. Pois pior que isso foi ouvir o treinador da equipe dizer que “os jogadores não estavam motivados, pois a partida não valia nada, o adversário já estava eliminado, o Grêmio classificado e pode ter ocrrido inclusive menosprezo”. Por Deus. Que equipe joga uma partida de Libertadores com sangue doce? Que equipe vai pra campo menosprezando o adversário, quando necessita do resultado para obter uma pontuação que garantisse jogos decisivos em casa? Que equipe Senhores? Vos digo: O Grêmio, dito “Copero y Peleador”, óbvio! Ainda procuro as duas pilhas pelo quarto, mas enfim né, o radinho já era velho mesmo.

ACREDITAR? Sim, acreditar. Ponto. Não sou do grupo “terra arrasada” e não será hoje que adentrarei neste nem um pouco seleto grupo. O Grêmio de ontem estava mal escalado, mal posicionado e somamos a isso uma noite muito infeliz dos principais jogadores, as ditas hastes do time. O Grêmio “não é nenhuma Brastemp” (e creio ser isso de conhecimento de qualquer gremista lúcido), mas Rodolfo, Gabriel, Rochemback, Lúcio e Borges jogam mais do que mostraram ontem. Muito mais. Entretanto, no futebol nem sempre se pode estar “abençoado” pelos céus, realizando mágicas em campo e partidas memoráveis. Ontem o grêmio foi mal. Precisa rever conceitos, entender situações e sacudir o vestiário. A mudança precisa começar já no Domingo, contra o Ypiranga e uma vitória não basta. Ou o Grêmio apresenta um bom futebol ou a crença e a fé dos torcedores estará seriamente abalada para os próximos confrontos que virão.

NÚMEROS: Fim de 1ª fase para o Grêmio. Restando apenas alguns poucos jogos para que os confrontos das 8ªs sejam definidos, já tem gente na Azenha calculando afim de projetar um possível adversário. E comigo não é diferente. Hoje pela amanhã acordei mais cedo, tomei sozinho um chimarrão [/engenheirosdohawaii], acessei o site da Globo e resolvi projetar. Após bom tempo em frente ao pc, pensando, levantando hipóteses e levando em consideração resultados prováveis, improváveis e impossíveis, o nosso adversário dificilmente não sairá da trinca Colo-Colo/ LDU/ Universid Catolica. “Teoricamente” é uma trinca mais fácil daquela que se desenhou quando havia a hipótese de sermos um dos melhores 2ºs colocados (LDU/ Nacional/ América). Deus pode estar escrevendo certo por linhas tortas. Nos resta aguardar . E acreditar.

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *