1983

Mais uma camisa de 1983, modelo diferente dos outros já postados aqui, com o tecido totalmente diferente e, desta vez, com a etiqueta na gola da malharia Terres. Aparentemente é do início do ano, teria sido usada na primeira fase da Libertadores de 1983. Abaixo fotos:

954 955 956 953

952

Fotos: Camisa (Victor Maia), Jogo (Grêmio Fotos).

1983

Camisa de goleiro usada no ano de 1983 pelo goleiro Mazzaropi, feita pela Dória, contrariando o que até então víamos, onde a Dória só fazia camisas de loja.

949 950 951

Fotos: João Lucas Perini Feltrin

Mazaropi:

Mazaropi é um dos goleiros mais vitoriosos que já vestiram a camisa do Grêmio. Colocou para sempre seu nome na história do Clube ao conquistar a Libertadores da América e a Copa Intercontinental de 1983, além de diversos estaduais e a Copa do Brasil de 1989.

Contratado junto ao Vasco, Mazaropi chegou ao Grêmio em um dos momentos mais importantes da vida do clube: a fase semifinal da Libertadores. Já em uma de suas primeiras partidas, justificou sua contratação. Contra o América de Cali, no Olímpico. O Grêmio vencia por 2 a 1 quando o time colombiano teve uma penalidade a seu favor. O gol eliminaria o Tricolor da decisão da competição. O desespero gremista se transformou em euforia quando Mazaropi defendeu a cobrança. O milagre do goleiro gremista garantiu o time de Valdir Espinosa na grande final da Libertadores e colocou Mazarópi no rol dos grandes ídolos da torcida. Em 1997, colocou suas mãos na Calçada da Fama do Estádio Olímpico perpetuando para sempre sua passagem pelo Clube.

948947

1983

Esta camisa de hoje fez parte da coleção do Andy, de Santa Maria, que foi um cara que me ajudou muito no início da coleção a descobrir os anos das camisas, saber se eram originais, saber onde encontrar camisas para a coleção, e muito mais. Esta camisa era da coleção dele e foi usada em 1983 na primeira fase da Libertadores por ninguém menos que o nosso maior ídolo Renato Portaluppi (espero que essa passagem como técnico não o faça deixar de ser ídolo hehe). A diferença para as outras de 1983, como poderão ver na foto abaixo, está apenas no número e no símbolo da Adidas. Abaixo as fotos:

466 467

952

1983

Dando continuidade vamos a camisa que, para mim, é a mais linda de nossa história, bem como uma das mais importantes, pois foi a que usamos na conquista de nossos maiores títulos. Falo dela, a Tricolor de 1983. A camisa das fotos faz parte da minha coleção e foi usada pelo Hugo De León em alguma partida que disputamos naquele ano no Rio de Janeiro. Consegui a mesma com um ex-policial que trabalhava nos estádios na época e sempre ganhava camisas dos jogadores. Mais de 20 anos depois ele resolveu se desfazer e eu dei a sorte de encontrá-lo. Com ela vieram mais 3 camisas histórias do Grêmio usadas em jogos (tricolores 1982 e 1997 e uma camisa de goleiro de 1982).

Ficha:

Grêmio 2 x 1 Hamburgo

11 de dezembro de 1983 – Estádio Nacional – Tóquio, Japão
Horário: 12h (Japão) – 00h (Brasil)
Público: 62.000
Arbitragem: Michel Vautrot (FRA) auxiliado por Toshikazu Sano (JAP) e Shizuhasu Nakamichi (JAP)
Gols: Renato aos 37min do 1° tempo; Schröeder aos 40min do 2°tempo e Renato aos 3min da prorrogação
Cartões Amarelos: Mazaropi, Caio, Renato e De León (GRE) ;Stein (HAM)

GRÊMIO FBPA: Mazarópi ;Paulo Roberto, Baidek, De León e Paulo César Magalhães; China, Osvaldo (Bonamigo 25 do 2°t) e Mário Sérgio, Renato, Tarciso e Paulo César Caju (Caio 33 do 2°t)
Técnico: Valdir Espinosa
Reservas: Beto, Leandro, Casemiro, Tonho e César

HAMBURGER SV: Stein, Wehmeyer, Hieronymus, Jacobs, Schroeder, Groh, Rolff, Magath, Hartwig, Hansen, Wuttke
Técnico: Ernst Happel

Hugo Eduardo de León Rodríguez

Hugo de León iniciou a carreira no Nacional do Uruguai no ano de 1975, sendo já aos 17 anos o capitão do time. Menos de um ano de seu inicio, teve sua primeira convocação para a Seleção Olímpica do Uruguai. Em 1977 se sagrou campeão do Campeonato Sul-Americano de Futebol Sub-20 com a seleção de base e no mesmo ano já seria promovido ao time principal do Nacional do Uruguai.

Após sua rápida ascensão, o zagueiro de León seria promovido ao time principal do Nacional no ano de 1977. Em seu primeiro ano como profissional se sagrou campeão do Campeonato Uruguaio. O zagueiro promissor ganharia mais um Campeonato Uruguaio em 1980, além da Copa Libertadores da América no mesmo ano.

O zagueiro uruguaio acabou despertando o interesse do Grêmio, sendo contratado pelo clube em 1981. No Imortal foi campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol de 1981 e chegou a final do Campeonato Brasileiro em 1982.

Em 1983 foi um dos protagonistas das maiores conquistas do Grêmio até então, conquistando a Copa Libertadores da América de 1983, marcando três gols na competição e realizando atuações grandiosas que lhe renderam uma idolatria histórica para os gremistas. Na final da competição, acabou se machucando com a taça continental e sua imagem sangrando com a taça é ate hoje um dos símbolos do Grêmio.

Ainda no ano de 83 foi Campeão Mundial com o Grêmio, em partida realizada em Tóquio, no Japão, contra a equipe do Hamburgo. Foi bi-campeão mundial pelo Nacional e tri-campeão da Libertadores em 1988, na segunda das quatro passagens que teria pelo clube charrua.

Jogou em diversos outros clubes brasileiros como Corinthians, Santos e Botafogo. De 1989 até 1990 defendeu a equipe do River Plate, sendo Campeão Argentino de 1989-90.

Jogou ainda a Copa do Mundo pela Seleção Uruguaia de Futebol em 1990, chegando as oitavas-de-final da competição, onde os uruguaios foram eliminados pela Seleção Italiana, anfitriã da competição vencida pela Seleção Alemã em final contra a Seleção Argentina.