Coluna do Quico

Capitão Maicon vestindo a nova camisa Tricolor

Diferentemente das fotos publicadas no último post, agora vazaram mesmo os novos uniformes do Tricolor. Num vídeo feito pelo lateral Juninho Capixaba, por descuido ele acabou mostrando os volantes Maicon, Matheus Henrique e o meia Jean Pyerre fazendo fotos para o lançamento dos novos uniformes. E o meu feeling não estava errado. Coloquei no último post que esperava um retorno da gola polo estilo anos 90. E teremos de novo uma camisa Tricolor com gola polo. Gostei da camisa. São listras um pouco mais largas (lembrando a camisa de 2017), combinando listras pretas na parte superior da manga e punhos largos na cor branca. Não deu pra ver as fontes de numeração e nem as costas da camisa, mas já dá pra afirmar que teremos belos uniformes para o restante da temporada 2019. Achei as listras brancas um pouco finas, mas só olhando a camisa mais de perto pra ter uma impressão melhor. Quanto ao uniforme 2, é predominantemente branco, com detalhes azuis nas laterais. Achei que faltou uma gola polo azul. Tomara que os números da camisa sejam azuis também. Não gosto que a camisa branca do Grêmio tenha números pretos, pois lembra Corinthians e Santos. Por isso é importante ter bastante detalhes azuis na camisa branca, pra dar aquela cara de Grêmio. Agora que já vimos a camisa, vamos aguardar o lançamento oficial pra termos um parecer mais completo. Veja abaixo mais algumas fotos.

Detalhes em azul na camisa branca vestida por Jean Pyerre
Matheus Henrique veste o uniforme branco 2019

Coluna do Quico

Realidade ou montagem? (Imagem do One Football)

A imagem acima circula na internet dizendo ter vazado a suposta camisa Tricolor para a temporada de 2019. Um desenho equilibrado, com listras um pouco mais largas tendo a listra branca no centro da camisa são os elementos principais. Gostei das mangas (apesar de um pouco largas) e punhos. Logos do Banrisul e da Umbro em posição correta. Só achei que a gola poderia ser um pouco melhor. Tenho visto uma sequencia de golas feias nas camisas de clubes em geral nos últimos anos. Bem que a Umbro poderia aproveitar essa onda retrô e trazer de volta uma gola estilo anos 90. Aliás, fui só eu que achei semelhança entre esse desenho e a camisa de 95? Real ou não, é um belo desenho. Uma camisa que com certeza eu compraria. Esperemos pra ver… Lembrando que o lançamento oficial será antes da partida contra o Santos na estreia do campeonato brasileiro (28/4).

Jogos Inesquecíveis

Grohe defende o pênalti e o Tricolor despacha os equatorianos da LDU

Não sei vocês, mas eu já estou com saudade da Libertadores. Enquanto a competição não começa para o Tricolor, vamos relembrar mais uma grande vitória do passado retornando com a sessão “JOGOS INESQUECÍVEIS”. O ano era 2013, o primeiro ano da Arena Tricolor. Após uma boa campanha no Campeonato Brasileiro do ano anterior, o Imortal retornava à Libertadores da América. Com Luxemburgo no comando, a direção tratou de investir pesado para montar um time de estrelas com o objetivo de levantar a taça. Como nada é fácil na vida do Grêmio, já de cara surge um grande adversário na pré Libertadores. A temida LDU campeã 5 anos antes calando o Maracanã contra o Fluminense de Renato. A fase pré Libertadores era disputada logo em janeiro, adiantando assim a pré temporada e preparação, já que um jogo tão importante assim definiria o futuro do time no restante do semestre. Uma possível eliminação seria um desastre total comparando ao grande investimento realizado pela direção. No jogo de ida no Equador (23/1), vimos um Grêmio ainda fora de forma segurar o empate até os 30 do segundo tempo, quando num lance de bate-rebate, após uma milagrosa defesa do Grohe, Garcez completou pra rede. Apesar da derrota, voltamos vivos. Com apenas 30 dias de uso, a nova Arena já enfrentaria sua primeira grande decisão. Em 30 de janeiro, 42 mil torcedores lotaram o estádio para apoiar o Tricolor rumo á vitória. Os equatorianos vieram fechados. trancando o jogo, fazendo faltas e atrasando a reposição da bola, métodos bem conhecidos na tradicional competição da América. Um primeiro tempo tenso e com poucas chances de gol logo chegou ao fim. Se via esperança nas entrevistas dos jogadores na saída de campo. “Temos que trabalhar a bola” dizia Zé Roberto. Vem a segunda etapa e um Grêmio ainda mais impetuoso encurralava a LDU que recuava e buscava matar o jogo nos contra-ataques. Aos 16 minutos, após receber um passe de William José, Elano soltou uma bomba de fora da área acertando o ângulo direito do goleiro equatoriano Dominguez. GOLAÇO!!! Mas ao mesmo tempo um momento de tensão tomou conta da Arena. Durante a comemoração do gol, na tradicional avalanche, o alambrado cedeu e derrubou alguns torcedores dentro do fosso, sofrendo uma queda de mais de 2 metros. Apesar de todas as preocupações, a equipe de emergência agiu rápido e tratando torcedores feridos e encaminhando para atendimento. Esse fato fez com que fossem posteriormente instaladas barras no setor da Geral e determinasse de uma vez por todas o fim da avalanche. Após a reinicialização do jogo, o Grêmio lutou até o fim para fazer o segundo gol, mas terminou assim. Esse 1×0 levou a decisão para os pênaltis. André Lima bateu primeiro. Gol! Saritama converteu para a LDU. Saimon foi pra segunda cobrança Tricolor. Bateu muito mal. O goleiro pulou no canto direito e defendeu. Vitti converteu para a LDU. 2×1. Tensão total nas arquibancadas da Arena. William José bateu firme e igualou. Reasco vai pra bola e… Na trave! Tudo igual 2×2. Pará e Vargas marcaram para o Grêmio, Vélez e Canuto para a LDU. 4×4 e vamos para as cobranças alternadas. Alex Telles vai pra bola e… Gol! Morante é o próximo a bater pela LDU… GROHE! Defendeu com os pés! Herói! Definida assim a vitória tricolor por 5×4 nos pênaltis e a classificação para a fase de grupos da Libertadores 2013! Grande jogo. Tenso, suado, nervoso. Mas no final, superação Tricolor. Na raça despachamos os equatorianos. O time que entrou em campo naquela noite: Grohe; Pará, Saimon, Bressan e Alex Telles; Fernando (Wiliam José), Souza, Elano (Jean Deretti) e Zé Roberto; Vargas e Moreno (André Lima). Téc. Vanderlei Luxemburgo.