2019

Os anos 90 foram inesquecíveis para qualquer torcedor do Grêmio, inclusive para os nascidos no milênio atual. Naquela década, mesmo com um início desafiador, forjamos o nosso espírito copero! Com os títulos da Libertadores de 1995, Recopa Sulamericana e Brasileirão em 1996 e duas Copas do Brasil, em 94 e 97, marcamos na nossa história, e na história do futebol, um time imortal. Em homenagem ao nosso passado e aos 95 anos da Umbro, lançamos, hoje, o terceiro uniforme para a temporada 2019. Que o nosso futuro reflita os nossos feitos do passado, que seja um #FuturoDeGlórias!

Fotos: Grêmio Mania

Jogos Inesquecíveis

Tcheco marcou o gol da vitória em 2008

É, vai ser difícil. Há 11 anos o Imortal tricolor não vence uma partida contra o Palmeiras em São Paulo. Corria o dramático ano de 2008. Após abrir 11 pontos de distância frente ao São Paulo, o Grêmio chegava à 34º rodada do campeonato brasileiro inacreditavelmente 2 pontos atrás. Os paulistas do Morumbi lideravam a competição e enfrentariam a Portuguesa nessa rodada. Nesse cenário, se quisesse se manter vivo na competição, o Tricolor precisaria necessariamente vencer o Palmeiras fora de casa. Pra complicar, entre lesões e suspensões, aquele time que jogava no 3-5-2 estava completamente descaracterizado. Sem os 3 zagueiros, os 2 laterais titulares, sem o atacante Perea (grande destaque naquele ano) e com o volante Amaral improvisado na zaga. Esses eram os desafio do Imortal, que teria pela frente o poderoso (e rico) Palmeiras de Diego Souza, Denílson e Alex Mineiro (o artilheiro do Brasil em 2008). Parque Antártica lotado, pressão desde o início, Palmeiras começa pressionando, e o jogo se equilibra do meio para o final do primeiro tempo. Goleiros Victor e Marcos se destacando com boas defesas. Segundo tempo começa morno, truncado como todo o jogo entre as duas equipes. 27 minutos, falta para o Grêmio na ponta esquerda da intermediária. Helder escora curto, Tcheco dá 3 passo em diagonal e cruza a bola com efeito. Todo mundo sobe, Marcel tenta em vão a cabeçada, e a bola morre na rede, no canto esquerdo de Marcos, que só tenta o golpe de vista. GOL DO GRÊMIO!!! Muita comemoração, os jogadores se abraçam quase sem acreditar. Depois disso o Palmeiras se atira com tudo para o ataque. Inclusive o goleiro Marcos, que havia perdido seu pai há poucas horas, abandona a meta e vai para o ataque como um louco no meio do jogo, deixando a defesa desguarnecida. Tentativas de todas as formas, mas afoitas e sem resultado. Final de jogo. Vitória heroica do Imortal Tricolor, que naquele momento, retornava para a briga pelo título, quando ninguém mais acreditava. Esse é o Grêmio. Contra tudo e contra todos. Que sirva de inspiração para o jogo de amanhã. É quase impossível, eu sei. O Palmeiras não toma gol, tem um elenco muito mais completo e a vantagem do jogo de ida. O Grêmio vai ter que jogar muita bola (principalmente o Maicon, que está devendo faz tempo), mas quem sabe uma bola despretensiosa como esse gol do Tcheco não recoloca o Grêmio de volta na briga? A alma copeira (como diz um certo narrador) é o único fator que nos faz acreditar. Avante Tricolor! O time que entrou em campo em 2008, no 3-5-2 tinha: Victor; Amaral, Jean e Heverton: Souza, Rafael Carioca, William Magrão, Tcheco e Helder (Adilson); Reinaldo (André Luis) e Marcel (Ortemann). Téc. Celso Roth.

2019

Camisa com “Seu Verardi” em homenagem ao falecimento do senhor Antonio Carlos Verardi, funcionário mais antigo do Grêmio, que morreu aos 84 anos em 24/04/2019.

Fotos: Davis Rodrigues / Lucas Uebel