1996

Em 1996, além de ganhar o Campeonato Gaúcho e o Campeonato Brasileiro o Grêmio também teve outro “título”. Foi o ano em que nossa tricolor foi a camisa mais vendida no mundo. Abaixo foto da matéria que saiu sobre o fato:

Segue foto da camisa de minha coleção, que particularmente nem acho das mais bonitas:

CAMPEONATO GAÚCHO

O Campeonato Gaúcho de Futebol de 1996, foi a 76ª edição da competição no Estado do Rio Grande do Sul. Novamente a Série A teve 14 clubes, já na Série B houve um aumento de dez para 14. Neste ano o Guarany/CA, pediu licença e foi substituido pelo Pratense. A disputa teve início em 2 de fevereiro e o término em 30 de junho de 1996. O campeão deste ano foi o Grêmio.

CLUBES:

FINAIS:

Juventude 0-3 Grêmio
Grêmio 4-0 Juventude
Campeão:Grêmio

ARTILHEIRO:

  • Sandro Pires (Ypiranga) 12 gols

CAMPEONATO BRASILEIRO

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1996 foi vencido pelo Grêmio, que conquistou assim o seu segundo título de campeonato nacional.

Os dois últimos colocados no campeonato, Fluminense e Bragantino, foram rebaixados para a Série B de 1997, sendo substituídos pelo campeão e vice da Série B deste ano, respectivamente União São João e América/RN. No entanto, apenas três anos após a histórica “virada de mesa” de 1993, a CBF voltou a intervir para salvar um grande clube brasileiro, no caso o Fluminense. Não houve rebaixamento em 1996 e o Campeonato Brasileiro de 1997 seria disputado por 26 clubes.

FÓRMULA:

Primeira Fase: Os 24 clubes jogam todos contra todos, em turno único. Classificam-se para a Fase Final os 8 primeiros colocados.

Fase Final (com Quartas de Final, Semifinais e Final): Sistema eliminatório, com jogos em ida e volta, prevalecendo a melhor campanha em caso de duplo empate.

FASE FINAL:

Quartas de final Semifinais Final
1 Cruzeiro 0 1
8 Portuguesa 3 0
Portuguesa 1 2
Atlético Mineiro 0 2
4 Atlético Paranaense 1 1
5 Atlético Mineiro 3 0
Portuguesa 2 0
Grêmio 0 2
3 Palmeiras 1 1
6 Grêmio 3 0
Grêmio 3 2
Goiás 1 2
2 Guarani 1 1
7 Goiás 3 0

A DECISÃO:

11 de Dezembro, 1996
Portuguesa 2 – 0 Grêmio Morumbi (São Paulo)
Público: 29.355
Árbitro:Sidrack Marinho dos Santos
Gallo Gol marcado a 38 minutos 38′
Rodrigo Fabri Gol marcado a 60 minutos 60′
Marco Antônio Penalizado 36′

Portuguesa: Clemer; Valmir, Émerson, Marcelo e Roque; Capitão, Gallo, Zé Roberto e Caio; Rodrigo Fabri (Tico) e Alex Alves (Flávio). Técnico: Candinho.

Grêmio: Danrlei; Marco Antônio, Adílson, Rivarola e Roger; Dinho (Mauro Galvão), Luiz Carlos Goiano, Émerson (João Antônio) e Carlos Miguel (Aílton); Paulo Nunes e Zé Alcino. Técnico: Luiz Felipe Scolari.


15 de Dezembro, 1996
Grêmio 2 – 0 Portuguesa Olímpico (Porto Alegre)
Público: 42.587
Árbitro:Márcio Rezende de Freitas
Paulo Nunes Gol marcado a 3 minutos 3′
Aílton Gol marcado a 84 minutos 84′

Grêmio: Danrlei; Arce, Rivarola (Luciano), Mauro Galvão e Roger; Dinho (Aílton), Luiz Carlos Goiano, Émerson (Zé Afonso) e Carlos Miguel ; Paulo Nunes e Zé Alcino. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Portuguesa: Clemer; Valmir, Émerson, César e Carlos Roberto (Flávio); Capitão, Gallo, Caio e Zé Roberto; Alex Alves e Rodrigo Fabri. Técnico: Candinho.

O CAMPEÃO:

Dirigido por Luiz Felipe Scolari, o time base do Grêmio no campeonato foi:

Danrlei; Arce, Rivarola, Adílson e Roger; Dinho, Luís Carlos Goiano, Carlos Miguel e Emerson; Paulo Nunes e Zé Alcino.

Além desses jogadores, tiveram importantes participações o zagueiro Mauro Galvão (que jogou a final, inclusive) e o meia-atacante Aílton, autor do gol do título, aos 39 minutos do segundo tempo.

CLASSIFICAÇÃO FINAL:

Tabela de classificação
Time PG J V E D GP GC SG
1 Grêmio 48 29 14 6 9 52 34 18
2 Portuguesa 46 29 14 4 11 40 34 6
3 Atlético Mineiro 43 27 13 4 10 44 37 7
4 Goiás 41 27 12 5 10 43 34 9
5 Cruzeiro 47 25 14 5 6 32 20 12
6 Guarani 46 25 14 4 7 25 17 8
7 Palmeiras 46 25 13 7 5 44 23 21
8 Atlético Paranaense 42 25 13 3 9 43 31 12
9 Internacional 35 23 10 5 8 31 27 4
10 Sport 35 23 10 5 8 32 31 1
11 São Paulo 35 23 9 8 6 39 32 7
12 Corinthians 32 23 7 11 5 20 19 1
13 Flamengo 30 23 9 3 11 24 31 -7
14 Coritiba 29 23 8 5 10 25 30 -5
15 Vitória 29 23 8 5 10 32 39 -7
16 Paraná 28 23 8 4 11 26 30 -4
17 Botafogo 28 23 7 7 9 33 35 -2
18 Vasco da Gama 27 23 8 3 12 37 43 -6
19 Juventude 27 23 8 3 12 31 37 -6
20 Santos 27 23 7 6 10 26 31 -5
21 Criciúma 23 23 6 5 12 31 39 -8
22 Bahia 23 23 5 8 10 25 35 -10
23 Fluminense 22 23 6 4 13 26 50 -24
24 Bragantino 19 23 5 4 14 26 48 -22
Pts – pontos; J – jogos disputados; V – vitórias; E – empates; D – derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols
Classificação
Campeão e classificado para a Libertadores 1997
Finalista e classificado para a Copa Conmebol 1997
Eliminado nas Semifinais e classificado para a Copa Conmebol 1997
Eliminado nas Semifinais
Eliminados nas Quartas de final
Eliminados na Primeira fase
Rebaixados para a Série B 1997

Fonte: Wikipedia

1988

Tricolor do ano de 1988, época em que a Penalty era nossa fornecedora e as camisas ainda eram de pano. As camisas de pano, apesar de muito quentes e desconfortáveis aos jogadores, são pra mim as mais lindas da nossa história, e esta, de 1988, é uma das que acho mais bonitas desta época.

Abaixo fotos da que fez parte da minha coleção e que agora está nas mãos do colecionador Valério Martins dos Reis:

Campeonato Gaúcho de 1988:

O Campeonato Gaúcho de Futebol de 1988, foi a 68ª edição da competição no Estado do Rio Grande do Sul. Participaram da disputa 14 clubes. Os seis melhores decidiram o título. A competição teve seu início em 20 de fevereiro e o encerramento em 26 de junho de 1988. O campeão deste ano foi o Grêmio.

PARTICIPANTES:

REGULAMENTO:

Neste ano, a RBS – afiliada da Rede Globo – resolveu bancar o torneio e com isso diminuiu suas partidas. Também passou a oferecer premiações para os times e transmitir dois jogos por semana para todo o estado. No turno, eram dois grupos de sete, nos quais os times do Grupo A enfrentavam os times do grupo B. Os dois primeiros de cada grupo passavam para a semifinal, e os vencedores passavam para a final. Nas semifinais o Grêmio venceu o Pelotas por 2 a 1 e o Caxias venceu o Juventude nos pênaltis por 4 a 3. Na final, deu Grêmio (2 a 1), que garantiu vaga no hexagonal final. No returno, os mesmo grupos de sete se enfrentavem dentro deles, com os dois priemiros passando para a semifinal.Nas semifinais, o Internacional venceu o Santa Cruz por 3 a 0 e o Grêmio fez 1 a 0 no Inter – SM. Na final, deu Grêmio (3 a 1). Por ser campeão dos dois turnos, o Grêmio leva dois pontos extras para o Hexagonal Final. Os oito times não classificados para o hexagonal disputaram o octogonal da morte, no qual o Brasil e o Guarany/CA foram rebaixados por serem os dois últimos colocados.

HEXAGONAL FINAL:

Para o hexagonal, se classificaram além do campeão dos turnos(Grêmio), os cinco melhores na campanha geral.

  • Classificação
1º Grêmio 15 pg
2º Internacional 13 pg
3º Pelotas 11 pg
4º Santa Cruz 9 pg
5º Juventude 8 pg
6º Caxias 6 pg

PG: Pontos Ganhos

Caxias 0 x 0 Grêmio – Centenário, Caxias do Sul (RS).
Arbitragem: Carlos Sergio Rosa. Público: 18 370. Renda: Cz$ 6 871 050. Cartão Amarelo: Cacapava (CAX) e Valdo (GRE).
Caxias: Chico, Paulinho, Sergio Odilon, Jairo e Ricardo; Cacapava, Leco e Mezzari; Zico(Gerson Lopes), Sanabria e Marquinhos. Técnico: Homero Cavalheiro
Grêmio: Mazaropi, Alfinete, Henrique, Luis Eduardo e Airton Caixão; Bonamigo, Cuca e Cristovao; Valdo, Lima e Ze Roberto (Darci). Técnico: Otacílio Goncalves.
Campeão: Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

ARTILHEIRO:

  • Lima (Grêmio) 17 gols

Fonte: Wikipedia

Notícias

Abaixo as notícias de hoje à respeito do jogo Grêmio 2 x 1 Vasco.

GloboEsporte:

Grêmio faz valer a força do Olímpico, bate o Vasco, e lidera tranqüilo

Time cruzmaltino se esforça, mas não agüenta a pressão.

Com o estádio Olímpico cheio, o Grêmio derrotou o Vasco por 2 a 1 e segue líder do Campeonato Brasileiro com cinco pontos de vantagem para o segundo colocado. O Tricolor dominou a partida, mas teve dificuldades para vencer a esforçada equipe cruzmaltina que, com o resultado, permanece em 14º.

Marcel e Soares (que entrou no lugar de Perea durante o jogo) foram os principais responsáveis pela vitória gremista, marcando um gol e dando uma assistência cada um. Alan Kardec diminuiu o marcador para os cariocas.

Na próxima rodada, os dois clubes jogam no Rio de Janeiro. Na quinta-feira, o Vasco recebe o Cruzeiro em São Januário, às 20h30m, enquanto o Grêmio encara o Fluminense, no Maracanã, no sábado, às 18h20m.

15 minutos de pressão, 30 de poucas emoções

Vindo de dois resultados ruins no Brasileirão e da desclassificação na Copa Sul-Americana para o rival Inter, o Grêmio tratou de partir para cima do Vasco logo no início da partida. Aos 2m, Perea tabelou com Tcheco e quase abriu o placar da partida.

A resposta do Vasco só veio aos 10, quando Jean fez boa jogada pela direita, Rodrigo Antônio se antecipou aos zagueiros tricolores, mas chutou desequilibrado. Dois minutos depois, Souza chutou bonito de fora da área, mas Tiago fez uma grande defesa, impedindo que a bola chegasse à sua meta.

Depois desse lance, a partida caiu consideravelmente de qualidade. O Grêmio não conseguia furar a defesa do Vasco que, por sua vez, pouco se arriscava ao ataque. Aos 37, Jorge Luiz e Perea disputaram uma bola, com o vascaíno levando vantagem. O atacante gremista sentiu dores e precisou ser atendido. Na seqüência da jogada, Alan Kardec invadiu a área, mas foi brecado pela defesa. Sem conseguir continuar em campo, Perea deu lugar a Soares.

Na última chance da primeira etapa, Anderson Pico teve ótima chance para abrir o placar para o Grêmio. Aos 45, em uma bate-rebate na área, a bola sobrou para o lateral que a chutou para fora.

– O Roth pediu para a gente jogar do mesmo jeito, mas para ter um pouco mais de paciência – disse Tcheco, ao voltar para a segunda etapa do jogo.

Grêmio volta melhor, Vasco joga com disposição

O conselho do comandante gremista parece ter dado resultado. O Tricolor voltou mais agressivo no ataque, tentando aproveitar melhor as chances criadas. Aos 2, Souza pediu pênalti em disputa de bola com Edu, mas o juiz interpretou acertadamente que o zagueiro vascaíno tinha atingido primeiro a bola.

Sete minutos depois, porém, o lateral cruzmaltino nada pôde fazer. Marcel recebeu a bola pela direita, partiu para o ataque e cruzou na medida para Soares, de cabeça, fazer a festa da torcida gremista no Olímpico.

O gol deu nova movimentação ao jogo. Em desvantagem no placar, o Vasco passou a buscar mais o ataque, mas esbarrava nas suas limitações e nas muitas faltas cometidas pelo Grêmio. Com isso, a equipe da casa teve mais espaço para trabalhar a bola em seu campo ofensivo, criando mais chances. Em uma delas, aos 20, o time conseguiu marcar o segundo tento, mas o bandeirinha já havia marcado impedimento no lance.

Aos 25, André Luiz, que havia substituido Anderson Pico, cometeu falta grosseira em Jean. Edu cobrou para a área e Alan Kardec subiu mais que toda a zaga para cabecear. Vitor ainda defendeu a bola, mas o próprio atacante pegou o rebote para empatar a partida. Contudo, a felicidade vascaína durou muito pouco. Três minutos depois, o Grêmio cruzou da esquerda e Soares retribuiu o passe para Marcel, deixando o artilheiro livre para colocar o líder mais uma vez em vantagem no jogo.

O Vasco não conseguia reagir, e poucas vezes chegou ao campo de ataque. Em uma dessas raras ações ofensivas, André Luis fez falta em Edu, mas o juiz não marcou. O lateral vascaíno ficou caído em campo sentindo dores. Os jogadores do Tricolor não pararam a jogada, o que deixou o técnico Tita revoltado.

Sem muitas emoções, o Grêmio continuou dominando a partida até o fim, mas não se arriscou muito, preferindo tocar a bola e esperar o apito final para comemorar mais três pontos.

ClicEsportes:

Grêmio vence Vasco e mantém vantagem na liderança

Soares e Marcel marcaram os gols da vitória por 2 a 1

Foi sofrido. Mas o Grêmio fez valer sua força na jogada aérea para furar a retranca do Vasco e vencer por 2 a 1 neste domingo, no Estádio Olímpico. Soares e Marcel marcaram os gols do time gaúcho, que segue na liderança do Campeonato Brasileiro. Alan Kardec marcou para os visitantes.

O time do técnico Celso Roth termina a 23ª rodada do jeito que começou: com cinco pontos de vantagem para o vice-líder Palmeiras. O time paulista bateu o Atlético-PR, fora de casa, e se manteve na caça ao time gaúcho. Mas com uma rodada a menos a disputar — faltam 15 para o fim do campeonato.

A iniciativa foi do Grêmio desde o começo do jogo. Logo a um minuto, Perea fez boa tabela com Tcheco, recebeu na cara do gol e chutou rasteiro. O goleiro Tiago já estava batido, mas o zagueiro Eduardo Luiz esticou a perna e salvou. Foi a única vez que o Vasco deixou um atacante gremista livre dentro da área.

Grande parte dos 89 minutos restantes foram mais ou menos parecidos. O Grêmio insistindo, martelando, buscando o gol por cima, pelas laterais, pelo meio. E o Vasco se defendendo do jeito que dava. Sem quatro de seus titulares, entre eles os atacantes Edmundo e Leandro Amaral, o técnico Tita escalou seus 11 jogadores atrás da linha da bola.

Como não conseguia furar o bloqueio vascaíno, o Grêmio passou a chutar de fora de área. O primeiro foi Tcheco, aos 11 minutos, para fora. Um minuto depois, foi a vez de Souza chutar no ângulo esquerdo de Tiago, que fez boa defesa. Aos 13, o Vasco deu seu primeiro e único chute a gol de todo o primeiro tempo, com Rodrigo Antônio.

— Temos que girar a bola de uma lado para o outro, até achar o espaço para fazer o gol — afirmou o zagueiro Léo ao fim do primeiro tempo.

A segunda etapa começou como a primeira: o Grêmio pressionando e o Vasco se defendendo. A diferença é que, dessa vez, o gol finalmente saiu. Aos nove minutos, Marcel cruzou da direita e Soares, que havia entrado no lugar de Perea ainda no primeiro tempo, cabeceou com força. A bola ainda bateu na trave antes de entrar.

Mesmo com a vantagem, o Grêmio continuou com uma postura ofensiva. Celso Roth tirou Anderson Pico e mandou André Luis para o jogo. O time quase ampliou aos 15 minutos. Após dividida na área a bola sobrou para Pereira, que chutou à direita do goleiro, desperdiçando grande oportunidade.

Mas o Vasco, que até então não tinha ameaçado o gol de Victor, chegou ao empate, aos 25 minutos. Edu cobrou falta da esquerda e Alan Kardec cabeceou. Victor defendeu, mas no rebote o próprio Kardec chutou para o fundo do gol, causando apreensão no Olímpico. A diferença para o Palmeiras estava caindo para três pontos.

O Grêmio, no entanto, não acusou o golpe e seguiu no ataque em busca da vitória. O time continuou rodando de um lado para o outro, esperando o melhor momento para furar a retranca vascaína. E achou aos 28 minutos — Souza cruzou da direita, Soares ajeitou de cabeça, e Marcel, também de cabeça, fez 2 a 1. Enfim, um placar mais justo.

Ficha do Jogo:

GRÊMIO
Victor; Léo, Pereira e Réver; Paulo Sérgio (Hélder), Rafael Carioca, Tcheco, Souza e Anderson Pico (André Luis); Perea (Soares) e Marcel
Técnico: Celso Roth

VASCO
Tiago; Marquinhos, Eduardo Luiz, Jorge Luiz e Edu; Serginho (Mateus), Rodrigo Antônio, Alex Teixeira e Wagner Diniz; Jean (Éder) e Alan Kardec
Técnico: Tita

Data: 31/8/2008 (domingo)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa/PR)
Assistentes: José Carlos Dias Passos e Moisés Aparecido de Souza (PR)
Cartões amarelos: Jorge Luís, Alan Kardec (Vasco); André Luís (Grêmio)
Gols: Soares (aos 9min), Alan Kardec (aos 25), Marcel (aos 29min do segundo tempo)

Notícias

É hoje! Hoje saberemos quem passará para a próxima fase da Sul-Americana. Grêmio, com time reserva ? ou sport club 2006, com suas estrelas ? Não sei, só Deus sabe e nos dirá hoje depois das 19:20 hrs.

O primeiro jogo, no Beira Lago, saiu 1 a 1 e por isso hoje, com 0 a 0 o Grêmio passa para a próxima fase. Como todo Gre-nada ultimamente tem sido assim, 1 a 1, 0 a 0, não vou me surpreender se zero a zero for o resultado hoje. Vou ficar mais feliz ainda se for 1 a 0 para o Grêmio com gol aos 48 do segundo tempo marcado em impedimento em uma jogada iniciada por falta. Hehehe.

Segue matéria que saiu no GloboEsporte:

Mistério, rivalidade e paz para trabalhar: é o Gre-Nal 372 no Olímpico

Clássico dos gaúchos decide vaga à próxima fase da Sul-Americana às 19h20m desta quinta-feira, no estádio do Grêmio

Confronto Léo Grêmio x Nilmar Internacional

A classificação para a próxima fase da Sul-Americana é o que menos importa. Às 19h20m desta quinta-feira, quando começar o Gre-Nal 372 no Olímpico, os eternos rivais de Porto Alegre defenderão o direito de trabalhar em paz, sem a corneta dos adversários. O clássico, recheado de mistério, vale especialmente para o Inter, que deve ir a campo com força máxima para enfrentar um Grêmiorecheado de reservas.Será o segundo jogo de azuis e vermelhos pela Sul-Americana. No primeiro, houve empate por 1 a 1 no Beira-Rio. Para avançar, o Grêmio precisa de um empate sem gols ou de vitória por qualquer placar. O Inter joga para vencer. Empate, só a partir do 2 a 2.

A reedição de uma das maiores rivalidades do planeta será acompanhada em Tempo Real pelo GLOBOESPORTE.COM. O SporTV mostra ao vivo para todo o Brasil. O vencedor enfrentará Universidad Católica, do Chile, ou Olimpia, do Paraguai, na próxima fase.

Vantagem colorada na história, mas não no Olímpico

O Inter vai a campo para defender sua supremacia histórica em clássicos. Nos 371 encontros entre os rivais, são 19 vitórias a mais para o Colorado – 137 contra 118, com 116 empates. Mas a história é diferente no Olímpico. Em casa, o Grêmio costuma levar a melhor: 39 vitórias azuis, 44 empates e 32 triunfos vermelhos.

O Tricolor não perde para o adversário há quatro jogos. Será também a quarta partida entre os gaúchos pela Sul-Americana. Até agora, é uma vitória para cada lado e o empate do primeiro jogo deste ano. Em 2004, o Inter avançou no saldo de gols – venceu por 2 a 0 e perdeu por 2 a 1.

Grêmio com (quase) reservas

A exemplo do que aconteceu no primeiro clássico, o Grêmio irá a campo com time reserva, mas não tão reserva assim. Dois titulares começarão o jogo: o zagueiro Léo e o volante Willian Magrão. O uruguaio Orteman, que pode ser titular em breve, faz sua estréia. O mesmo vale para Souza. E podem aparecer surpresas. Roth garantiu que não será o time titular, mas do outro lado, lá no Beira-Rio, Tite alertou para a possibilidade de o colega tricolor aprontar surpresas. Victor, Réver, Anderson Pico, Rafael Carioca e Perea são outros titulares relacionados para o jogo. Não se pode descartar a presença de algum deles – especialmente Réver ou Perea.

É inegável que o Gre-Nal 372 representa menos para o Grêmio do que para o Inter. E nem poderia ser diferente. Afinal, o Tricolor é líder isolado do Brasileirão, e o melhor que tem a fazer é aproveitar a competição continental. Celso Roth pensa assim. Ele quer utilizar a Sul-Americana para deixar o grupo mais forte no Nacional.

– A grande coisa positiva da Sul-Americana é a possibilidade que temos de administrá-la bem. Definimos publicamente qual seria nossa postura. É esse o grande mérito: administrar para ter um grupo de trabalho no mesmo nível – afirma.

Mas quem vai a campo automaticamente esquece os poréns tricolores. Especialmente em caso de estréia. O uruguaio Orteman parece disposto a entrar voando no Gre-Nal.

– Clássicos são diferentes, fechados, de entrega. Gosto de jogos assim – comenta.

O futuro em um clássico

O Inter coloca seu futuro em jogo no Gre-Nal. Como a campanha no Brasileirão não tem deixado os torcedores muito felizes, a Sul-Americana virou obrigação. E o peso sobre as costas vermelhas aumenta alguns quilos pelo fato de o clube do Beira-Rio ir a campo com força máxima, ao contrário do oponente.

Ou não. Durante a semana, Tite disse que não poderá escalar domingo, em Recife, contra o Sport, o mesmo time do Gre-Nal. Aí são duas possibilidades: ou ele preserva titulares no clássico, ou poupa no Brasileirão. Pela importância que o treinador dá ao jogo desta quinta, o descanso deve ficar mesmo para Pernambuco.

– Gre-Nal é diferente. O envolvimento emocional é outro. Meio Rio Grande do Sul vai dormir feliz e meio Rio Grande do Sul vai dormir triste na quinta. O jogador sente isso. Para não sentir, só sendo máquina ou alienígena. E sempre tem uma conseqüência anímica. Não sou hipócrita de dizer que não é assim – diz Tite.

O treinador colorado recebeu uma notícia muito ruim na semana do Gre-Nal. Alex, principal referência do time, não disputará o clássico. Ele tem dores na coxa e, ao mesmo tempo, está acertando transferência para o Al-Jazira, dos Emirados Árabes. Taison deve substituí-lo. De resto, ele tem força máxima à disposição. Daniel Carvalho foi relacionado para a partida e deve ser opção na reserva.

A diretoria colorada não trata publicamente do assunto, mas o Gre-Nal tem ligação direta com a permanência de Tite no comando do Inter. Em caso de insucesso, ele viajará a Recife com a corda no pescoço.

1977

 

Os campeões gaúchos de 1977:



Curiosidades sobre o ano de 1977:

Gauchão de 1977
No dia 25 de setembro de 1977 o Grêmio sagrou-se campeão gaúcho depois de oito anos na fila. A equipe treinada pelo lendário Telê Santana venceu o Internacional no Olímpico pelo placar de 1 a 0. O baiano André Catimba marcou o gol do título. Na comemoração, o que seria um salto mortal foi interrompido por uma distensão em pleno vôo. André deixou o gramado lesionado mas a foto entrou para a história.

O gol dos 14 segundos
No ano de 1977, Yúra marcou o gol mais rápido da história dos Gre-Nais aos 14 segundos de jogo. O Internacional não chegou a tocar na bola. O Tricolor venceu a partida por 2 a 1.

Oberdan
Oberdan foi o zagueiro que se apresentou ao Grêmio em 1977 (ano da reconquista do Campeonato Gaúcho). Ele estava prestes a se aposentar e criar abelhas em Santa Catarina mas atendeu a convocação tricolor e se tornou o líder da equipe campeã estadual de 1977. Os seus pés estão hoje eternizados na Calçada da Fama Tricolor.

Curiosidades: Gremio.net

Fotos: Gianfranco Spolaore